Quanto preciso vender para não ter prejuízo?

Publicado em julho 30, 2010 | Por pme_mint2013 | Empresas, Gestão

O faturamento mensal mínimo de uma empresa deve ser suficiente para cobrir os custos fixos e variáveis, ele é chamado de Ponto de Equilíbrio (PE). Neste estágio, o negócio não está lucrando, mas também não apresenta prejuízo. Este cálculo é essencial para analisar a viabilidade de um empreendimento. Mas como calcular qual é o ponto de equilíbrio da sua empresa?

O professor de análise de investimentos da FIA – Fundação Instituto de Administração, Bolivar Godinho de Oliveira Filho,  destaca a importância do plano de negócios. “Por menor que uma empresa seja, é muito importante que ela faça um plano de negócios, quando uma sério de dados será levantada. O ponto de equilíbrio é um deles”, avalia Godinho.

Para exemplificar como é calculado o ponto de equilíbrio Godinho utilizou um exemplo prático, veja abaixo:

Empresa: loja de bolsas

Preço das bolsas vendidas: R$ 150,00

Custo de cada bolsa para o empresário: R$ 70,00

Custos fixos: R$ 10.000,00

Como calcular os custos fixos?

Os custos fixos são todos aqueles que a empresa arca independente das vendas. Exemplos: aluguel, salários, encargos, infraestrutura etc.

Vamos calcular a margem de contribuição deste produto, ou seja, o quanto ele colabora para quitar os custos fixos da empresa.

Margem de contribuição = Preço de Venda – Custo do Produto

Neste caso temos:

R$ 150,00 – R$ 70,00 = R$ 80,00

Com estes dados reunidos vamos calcular quantas bolsas a loja precisa comercializar para que seus custos fixos sejam pagos, assim encontraremos o ponto de equilíbrio:

Ponto de equilíbro = Custo fixo / margem de contribuição unitária

Ponto de equilíbrio = R$ 10.000,00 /  R$ 80,00

Ponto de equilíbrio = 125 bolsas

Este é um exemplo simples, com apenas um tipo de produto sendo considerado. Com a empresa com diversos produtos é preciso calcular a margem de contribuição ponderada, avaliando quanto cada produto representa no faturamento da empresa.

“Se o empresário constatar que não atingiu seu ponto de equilíbrio deve avaliar estratégias mercadológias para aumentar sua receita ou atuar na redução de seus custos fixos”, explica Godinho.

Para o professor, o planejamento é fundamental ao abrir um negócio. “As pessoas ficam entusiasmadas ao começaram uma empresa, mas não gastam tempo no planejamento, é preciso pesquisar bastante”, avalia Godinho. Mesmo que você já esteja com a empresa aberta, ele aconselha que o plano de negócios seja feito. “É preciso investir em pesquisa, estudar a concorrência, aprender na tentativa e erro é muito caro e desgastante”, finaliza.

Você sabe calcular o preço do seu produto ou serviço? Veja aqui como fazer!

Gostou deste artigo? Compartilhe!

8 Responses to Quanto preciso vender para não ter prejuízo?

  1. prezados, trabalho por conta própria a 5 meses (freelancer) e não tenho empresa registrada. Posso considerar despeças de minha casa como “condomínio”, “luz”, “supermercado” etc… como um custo fixo.
    E no dia que eu registrar a empresa também terei isso como um custo fixo, pois a empresa a principio é para meu sustento.

    Obrigado.

    • Bernardo,

      Segundo o Sebrae é importante não misturar contas pessoais com as da empresa, o ideal é que você defina o seu pró-labore. Mas isso nem sempre é fácil, por isso fizemos um post sobre quais são os principais erros das pequenas empresas e como evitá-las, veja aqui: http://pensandogrande.com.br/quais-os-principais-motivos-de-fracasso-das-pequenas-empresas/.

      Desejamos sucesso!

    • TC says:

      Caro Bernardo.

      Se você faz da sua casa o seu local de trabalho, você deve SIM considerar seus gastos em casa como parte do seu custo operacional.

      Contudo, nesse caso, você precisa ter um cuidado especial: não é correto considerar a conta completa como gasto do seu trabalho. Afinal, você trabalha apenas parte do seu dia e na outra parte “curte” a sua casa como qualquer pessoa que descansa depois de um dia de trabalho.

      E mesmo quando você está em casa, apenas parte do consumo da casa é empregado no seu trabalho.

      Então, a forma correta de considerar os gastos em sua casa é mapear o consumo que você realiza apenas com o seu trabalho. Logo, é preciso identificar qual o custo real da sua presença em casa quando está trabalhando.

      Isso quer dizer que aquela TV ligada na sala enquanto você trabalha no “quarto” não faz parte dos seus custos. Assim como aquela chuveirada que seu irmão mais novo tomou depois do futebol também não é custo para sua atividade.

      Você precisa mapear o que você consome e que não seria consumido se você estivesse trabalhando em outro local. São coisas como a quantidade de energia elétrica que você consome com o seu computador, o ar-condicionado, a luz elétrica etc no momento em que você está trabalhando; algum gasto com um possível aluguel de um espaço próprio para o seu trabalho; a água que você consome; e qualquer outra coisa que não estaria sendo utilizada se você não estivesse trabalhando em casa.

      Os demais custos da casa são gastos rotineiros que você teria mesmo se estivesse trabalhando em outro local, ou, ainda, se nem mesmo estivesse trabalhando.

      Nesse segundo caso, os gastos da casa são de responsabilidade do seu salário. Não de seu trabalho!

      Aliás, outro ponto importante ao mapear os seus custos fixos é justamente não esquecer de estabelecer um salário para você. Ele deve sempre estar dentro da sua meta. (Assim como estaria o salário de um empregado.) Mas, lembre-se: você deve buscar um salário dentro da realidade da sua atividade. De nada ajuda estipular um valor que você não consiga alcançar com o seu trabalho.

      Fazendo esse controle, você começa a conhecer melhor o seu custo operacional e adquire base para tomar suas decisões futuras ao traçar metas e crescimentos.

      Esse controle não é fácil de iniciar, mas com o tempo você se acostuma com a ideia.

      Então, mãos à obra!

      E bom trabalho.

      Abraços!

  2. Marcelo says:

    Prezados,

    Estou em processo de abertura de empresa, porém estou com dificuldades na parte do planejamento financeiro do meu business plan, o motivo é que por se tratar de uma empresa nova não tenho histórico de vendas e assim sendo fica difícil os calculos da previsão faturamento. ( Pto de equilibrio, margem de contribuição ) Alguma dica?
    Vale ressaltar que irei trabalhar com venda de artigos esportivos de diversos produtos e marcas.
    Obrigado e parabéns pelo blog sou seu fã!
    Abs.
    Marcelo

  3. Léo Sa says:

    Estou montando um depósito de bebidas no meu imóvel, e ainda não estou em condições de ter um imóvel só para ele. Apesar dele estar registrado como Casa Comercial, eu moro num dos quartos. Como separar uma coisa da outra?

  4. Vocês estão de parabéns, pelo os seus trabalhos, o povo Brasileiros precisa de pessoas assim, obrigado pelas dicas encontrada no blog.

  5. Gonçalves says:

    Olá bom dia ,venho trabalhando com vendas de vários produtos relacionados a (enxovais),sendo que alguns são mercadorias importadas(cobertores ,colchas e ate a blusas )e outros são do imterior de SP,como posso calcular o preço final dos produtos para que não ocorra erro para mais ou menos

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.

*

Você pode user essas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current day month ye@r *